A dança da alegria

A dança da alegria - CA Ribeiro Neto

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Sobre os mini-parquinhos

Penúltimo conto da série 'Tentativas de Comédias', 'Sobre mini-parquinhos' é uma crônica um tanto ácida sobre aqueles parquinhos infantis que tem em shoppings. Espero que gostem.


Sobre mini-parquinhos de shoppings




Chego ao shopping por volta das dezessete horas, geralmente durante a semana, pois no sábado e domingo é muito barulho. Peço apenas um suco de laranja 300 ml porque estou de dieta e vou me posicionar na praça de alimentação. Procuro sempre sentar na mesma mesa para ter sempre a mesma visão: o mini-parque feito para as criancinhas das mães que não têm capacidade de gastar dinheiro e cuidar delas ao mesmo tempo. Aí eu fico lá, observando aqueles seres adoráveis, que não tem preocupação nenhuma, a não ser com quanto tempo irá durar a brincadeira.

Confesso que já tirei algumas conclusões. Primeiro, cada vez mais fica claro a relação de carinho existente entre as crianças e suas babás! É um amor tão sincero, tão puro, que poderia até gerar inveja em muitas mães.

A conclusão que tiro das mães é que, cada vez mais elas estão recebendo mais, ou estão simplesmente gastando mais. Pois já não há mais braços para tantas sacolas. E o que é pior: quando elas vão buscar a filha e a babá no parquinho, ao invés dela jogar as sacolas para a babá carregar, ela paga pelo divertimento da criança e sai caminhando sem olhar para a cara de felicidade da menina.

Outra coisa que já observei é que as garotas que trabalham nesses locais não sabem tratar as crianças como elas merecem! Por exemplo, no escorregador, as crianças não sobem mais as escadas, as mulheres já pegam os meninos e colocam no ponto de descer! Sem falar que elas também não deixam eles correr! Não é por mal, elas querem segurar a mão das crianças, mas fazendo assim, impedem a correria tão prazerosa da infância. E ainda tem umas músicas... ou eu era besta demais no meu tempo, ou a Xuxa desaprendeu a fazê-las!

Tem uma coisa lá, também, que eu não concordo de jeito algum: Vídeo-game! Ora, se é para tirar os meninos de casa, então não é para botar em frente da tv de novo! Tantos outros brinquedos lá no ambiente e as crianças com a cara num quadrado luminoso... isso não está certo, não!

Acabei de perceber que eu só estou falando mal! Afinal, eu venho para este canto sempre, não é por esses problemas acima mencionados, e sim para ver essas crianças brincando! Tem coisa mais bonita que um sorriso de criança? Aquela corridinha disritmada? Aqueles inícios de amizades? Sabe, apesar de todas as mudanças que ocorreram no estilo de vida infantil, ser criança é sempre bom!


CA Ribeiro Neto
-----------------------------

* Guardei um segredo porque tenho a superstição de que, quando conto algo que quero que aconteça, ela não dá certo. Mas agora que já deu certo, eu conto: Tirei minha carteira de motorista! Carona só se interarem a gazoza!
* Feriado amanhã, dia do trabalhador. Ah, como eu queria comemorar esse dia...
-----------------------------

www.aondeeuestavamesmo.blogspot.com
-----------------------------

ESCUTANDO NO MOMENTO: Renúncia - Nelson Gonçalves

Boa Sorte

5 comentários:

Thiago César disse...

em relação às instrutoras q tomam conta das crianças nesses parkinhos, eu compreendo o cuidado exagerado, uma vez q as crianças sao filhas de outras pessoas e isso gera muita preocupação, às vezes até desnecessária, eh verdade, mas compreensiva.
quanto aos video-games, nao sou contra, pois da mesma forma q nao se deve deixar q as crianças se prendam somente à tela, tb nao se deve esperar q elas se prendam somente aos outros brinquedos. o ambiente está lah pra agradar a todos, e nao pra condicionar a criança pra um certo tipo de brincadeira. nos preocupamos muito com essa "geração eletronica" das crianças de hj pq nao fomos criados assim, e pra nós isso eh perder a infancia, mas temos q entender q os tempos mudaram, e ser criança hj nao eh ser criança no nosso tempo. além disso, a preocupação de deixar ou nao as crianças em frente à tela do video-game o tempo todo, eh uma kestao pra ser trabalhada em casa, e nao num parkinho de shopping q soh estah lah pra prestar serviços.

Gi disse...

Ah... quanto ao resultado, tbm diz pouquíssimo sobre mim... como comentei no post, é só para se divertir um pouco e usar como brincadeira.

Curioso esse grupo de blogueiros... por que só de quinta-feira? E pelo que andei visto.. todos vocês escrevem contos e poesias, acertei?
Infelizmente não tenho esse dom para escrita... Raríssimas foram as vezes que consegui escrever algo.

Quanto ao seu post... essa super proteção dos monitores com a criança são justamente para agradarem aos pais e fazê-los voltar outras vezes.

Trabalhei uma época como monitora em um buffet infantil. Ajudar as crinças a fazerem coisas básicas como subir no brinquedo ou até mesmo no escorredor é se mostrar prestativo. Por mais que a criança odeie, o pai fica satisfeito.

É uma injustiça sem tamanho. rs

Marcella disse...

"Por exemplo, no escorregador, as crianças não sobem mais as escadas, as mulheres já pegam os meninos e colocam no ponto de descer!"
mas que coisa mas sem graça!! o bom do escorregador eh subir pelo memso lado que descemos (pelo escorregador)!! kkkkkkkkkkk
\o/
vai dizer que tu n gostava disso???
adorei o texto..
talvez as maes estejam ganhando mais e pr isso gastando mais tbm ...
uma coisa n elimina a outra neh..
kkkkk

bju carlim!

Gi disse...

Muito legal essa iniciativa dos blogs de quinta! =))

Bom, não é que eu goste de postar mais de uma vez por semana, é que meu passado com blog e fotolog não são dos melhores e as vezes eu passava uma semana sem postar e essa se transformava em 2... 3 e assim por diante. Além do mais tem tantas coisas das quais eu gostaria de comentar... Não tenho postado mais porque esse meio de semestre tem estado muito corrido... provas e trabalho... =/

Muito obrigada pelo elogio! Até me senti alguém quando vc valorizou minha futura profissão. Geralmente as pessoas acham que cursar história e única e exclusivamente para dar aulas. E você não sabe mas... ler seus contos e do Hermes me ajudam também! Ler tanta coisa pra faculdade é cansativo, mas falta tempo de ler coisas que fogem disso... Sobra-me contos mesmo em horas vagas.

Hermes disse...

Eita, deu tempo de postar antes de tu fazer outro. Bom, como disseram: o cuidado exagerado é porque as crianças não são delas, e querem que o cliente voltam. E quanto ao video game não tenho nada contra, mas acho não muito saudável ficar jogando direto, alternar com leitura e brincadeiras que faça caçar seria o ideal, mas não sou um profissional da área...
Eu acho que apesar da medicina ter evoluído e que agora ela pode ajudar mais ainda nossas crianças, elas estão sofrendo mais atualmente. Eu não sei se antigamente a violencia contra elas(até em casa mesmo, e até pelas babás) eram tão grande, tu pode até me falar se sabe a respeito disso, se não sabe..a gente pode pesquisar. Mas eu fico preocupado com os casos de pedofelia e violencia que afeta diretamente nossas crianças.
Bom texto Carlinhos, do tipo que faz pensar.
Abraço.