A dança da alegria

A dança da alegria - CA Ribeiro Neto

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Agora, sinto

Pessoal, começo hoje uma nova série que pelo menos o Marcelo Almeida vai gostar! hehehe. Vou mostrar meus textos que têm referência da Gramática Normativa da Língua Portuguesa! A série intitulada 'Nossa Língua Portuguesa' terá 5 textos (4 poesias e uma crônica), onde duas falaram de sintaxe (Agora, sinto; Do amor e todas as suas vidas) e três de morfologia (Afavelmente factual; Conjugando o conjugado; Que sejam bem felizes: Clara, Cartola e eu)! Agora a que posto é 'Agora, sinto', onde cada estrofe utiliza um tipo de aposto, respectivamente: enumerativo, recapitulativo, oracional e explicativo.

Agora, sinto

Lembro-me de ti com facilidade:
Uma música que fale sobre saudade,
Uma poesia de amor sofrido,
Uma menina tímida com um belo sorriso,
Uma daquelas lanchonetes por toda a cidade.

Quando vejo uma criança brincando na rua,
Quando escuto sobre uma deusa do camdoblé,
Quando vejo uma pele igual a sua,
Quando comungo contigo a nossa fé:
Tudo ao meu redor para ti conflua.

Agora, sinto, desabafo:
Quanto mais ficamos afastados,
Mais sinto falta de tê-la ao meu lado.

Então, desculpe-me, por favor:
Por não estar contigo aonde você for.
Também comungamos o mesmo choro e a mesma dor.

CA Ribeiro Neto
----------------------------------------------

* As coisas andam calmas demais.
* Tudo em sua normalidade.
* Carnaval em Fortaleza. Eh nóis!
----------------------------------------------

ESCUTANDO NO MOMENTO: Copo Vazio - Gil Luminoso - Gilberto Gil

LENDO NO MOMENTO: Almanaque Armorial - Ariano Suassuna: Pg. 106
Boa Sorte

9 comentários:

Marília Maia disse...

"Uma poesia de amor sofrido,Uma menina tímida com um belo sorriso", ops!!! sei lá...
Depois comento direitinho...

Thiago César disse...

as duas primeiras estrofes axei muito boas, as duas ultimas soh q axei um poko desnecessárias...

mahs, foi mal, mas eu nem tava lembrando da tua historia do coelho quando escrevi akele poeminha... hehe! mas talvez meu incosciente lembrou, kem saber! =P

Marília Maia disse...

Hei,
eu não entendi isso aqui:

"Uma daquelas lanchonetes por toda a cidade."


:(

Le Babiot disse...

ABigo, vc parece que falou desta criatura "chata", chamada Marília, hauhauhau....tá tão bonito, Carlim, oh, tu, e a poesia, hehe

Marília Maia disse...

"Chata"???,
querido Babiô,

É o seu presente,
Seu passado
e provavelmente
O seu futuro.

Ora marra rapaz, agora pronto!!!

Que é, que é???
Sou chata sim e daí???

Marília Maia disse...

Olha ai...


http://ninhomaia.blogspot.com/2010/02/sabado-noite.html

.:. AuruS .:. disse...

"Também comungamos o mesmo choro e a mesma dor."

Ave maria... tu sabe que sou o poço do romantismo, ou pelo menos, é apenas sobre isso que conversamos, minha dores de cotovelo.
Adorei o texto!!

Marília Maia disse...

Como é que a Aurus poderia ser eu????
E Pq???

Paulo Henrique Passos disse...

Só com essa explicação mesmo é que alguém iria perceber que se tratam de apostos, a não ser que o cara seja meio doido por Português, hehehe

Olha que algum dia eu vou ver esses textos num livro de Português, numa Gramática, e com certeza vai ser melhor do que já é estudar a nossa língua.