A dança da alegria

A dança da alegria - CA Ribeiro Neto

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Seu Elias e a personificação da tristeza

Conto escrito inspirado na música "No Hospital", de Amado Batista. Olhe, adoro músicas tristes, mas essa talvez seja a mais triste que já escutei em toda a minha vida e merecia essa homenagem.



Seu Elias e a personificação da tristeza



Nunca vi um sorriso no rosto daquele homem. Eu, muito novo na região, não entendia o fato dele ser o mais isolado da vila que mais parecia uma família só. Todas as datas comemorativas eram festejadas na pracinha circular que havia ao centro e ele ou não participava, ou figurava coadjuvantemente.
Seu Elias era a personificação da tristeza e o que mais me espantava era que todos da vizinhança não se incomodavam com isso. Perguntando um pouco para cada um, descobri os retalhos da maior história da sua vida.
Ele e sua esposa formavam o casal mais bonito que poderia existir. Um amor perfeito, que ninguém poderia supor que um dia fosse se acabar. O único problema é que eles não conseguiam ter um filho. Sempre tentavam e não conseguiam, foram à rezadeiras, tentaram de várias maneiras e ajuda médica.
Com o acompanhamento médico, Dona Paula conseguiu engravidar e eles tiveram os melhores 7 meses da vida deles. Seu Elias não se cabia de tanta felicidade. Era alegria em capacidade máxima, que transbordava por sua boca, seu sorriso. Na época, ele tinha 29 anos e aquele filho era o que faltava para ele se sentir um adulto completo.
Era uma gravidez de risco e as complicações vieram. Correram ao hospital e ela foi levada pelos enfermeiros. O final da história, depois de muito pensar sobre como conseguir a melhor informação, tive coragem de perguntar diretamente a ele, que me contou que Dona Paula e seu filho não saíram com vida da sala.

- No hospital, na sala de cirurgia, pela vidraça eu via, você sofrendo a sorrir. E seu sorriso, aos poucos se desfazendo, então vi você morrendo, sem poder me despedir.

CA Ribeiro Neto

---x---X---x---
Quem quiser escutar a música, veja o vídeo aqui.

---x---X---x---

ESCUTANDO NO MOMENTO: Vamos Nelson - Gonzaguinha
LENDO NO MOMENTO: Solar - Ian McEwan - pg. 160// A condessa sangrenta - Alejandra Pizarnik - pg.25


Boa Sorte || ApontArte

3 comentários:

Musa disse...

Noooossa!!! Que triste Carlinhos...

Um abraço,

lucas lima disse...

Muito terno, tava precisando de um texto desses, fazia tempo que você não postava algo assim

hermesveras disse...

A música é triste, eu já conhecia só o ritmozinho, não tinha prestado atenção na letra.

Legal essa união de música com literatura, não sei se isso é permitido no ponto de vista autoral, mas é bem interessante e você fez muito bem. Se eu tivesse passado por isso aí, do Seu Elias, eu seria um triste eternamente, mesmo depois de morto.