A dança da alegria

A dança da alegria - CA Ribeiro Neto

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Por falta de gentileza

'Por falta de gentileza' é fruto de um sonho que tive. Sonhei tal e qual está escrito aqui. Nessa noite, não consegui dormir mais, pensando nessa história que não sei como veio parar em minha mente. É uma história triste, até acho meio difícil de acontecer, mas nunca impossível.


Por falta de gentileza


J. A., 42, chamemo-o de João, mendigo há pouco tempo, depois que foi perdendo tudo aos poucos. Andava, faminto pelas ruas noturnas de uma grande cidade qualquer.

Caía uma chuva fina, mas ele não se importava, para ele, era um pouco de limpeza, na verdade, isso só formaria uma lama, pois estava muito sujo, sem falar da roupa que depois iria feder mais, e ainda poderia pegar um resfriado. Chegou num viaduto, encontrou uma senhora, também mendiga, com seus quatro filhos, logicamente também mendigos. Ela, preparando um feijão numa panela preta de tão velha, os meninos, tentando dormir para enganar a fome.

João se aproxima e pede um pouco do feijão que ela cozinhava. Então que ela responde.

Meu sinhô, eu inté gostaria d'ajudar, mas dessa vez num posso, não. Né por falta de comida ou de gentileza, não, pois o que tem aqui dá pra nós e pro sinhô. Mas o pobrema é que eu botei veneno no comê. A uns vinte dia atrás fomo expulsos da favela eu, os minino e o disgramado do pai deles. Desde então moramo nesse viaduto. Aí o filho da puta do Manel num guentou a humilhação e semana passada ele num se empindurou nesse viaduto? Poisé, enlaçou uma corda no pescoço, com a outra ponta no poste e pulou, meu sinhô. Na frente dos minino! Tu imagina, meu sinhô! Deixá mulé e minino pra criá e se matar na frente de todo mundo! Daí nós tamo pedindo esmola pra comê, mas num tou guentando mais não. Isso é vida de cão, meu sinhô! Vou me embora também, e vou carregar meus bacurim junto. Cê me entende, né, sinhô?”

João a olhou, olhou para os garotos enfileirados, depois olhou para os poucos carros que passavam ali, desceu uma lágrima de seu rosto e pensou: “o que é que estou fazendo aqui mesmo?” e depois disse.

Dona, se a senhora num se importa, acho que vou pegar carona também. Dá mesmo pra dividir pra mais um?”

CA Ribeiro Neto
--------------------------

* Hoje show do Baque Lírico, no Fafi, às 22:30! Será só o pitel!
* Fora isso, nada demais!
--------------------------

ESCUTANDO NO MOMENTO: Nasci para chorar - Roberto Carlos
Boa Sorte

8 comentários:

Hermes disse...

Vou nem comentar a anterior porque ela me deixa mais comovido do que esse teu, que foi um sonho. Já li os dois, ahuahua, pra variar. Só sendo sonho teu mesmo, é difícil te ligar a esse assunto de suicídio. É muito macabro.

Thiago César disse...

eh o bom, mah!
me lembro quando tu me contou esse sonho aí pelo msn...
foda nao, hein!

Paulo Henrique Passos disse...

É, tu já leu esse no grupo.
Ficou legal foi a coloquialidade na fala da muié.

Gi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gi disse...

eu sei que vc não vai acreditar, mas hoje de manhã, quando ainda estava meio dormindo e meio acordada, veio seu conto na minha cabeça..

e com uma certa crueldade, e meio que sonhando, pensei que não poderia haver melhor final para essas pessoas..

que outro fim, possível, poderia ser feliz? milagres não acontecem para todos..

é a triste realidade dos nossos dias que dificilmente vai mudar. é nesse ponto que o pessimismo se confunde com o realismo.

A moça da flor disse...

olha só...
cê não me contou esse sonho por msn xDD hehehe

um ótimo texto!
deveras triste, mas muito bem escrito...
e como o mundo não é feito só de "Alegria que gira" (hehehehe)...

gostei da coloquialidade também. Adoro essas coisas que nos deixam mais próximos do texto!

um grande beijo!

Vilminha disse...

oi saudades suas. estou melhor e de Férias e licença especial só volto trabalhar em 03 de novembro. é amigo as vezes se olhamos pro lado é tudo uito ruim e difícil que dá vontade de desistir de sobreviver porque viver mesmo é outra coisa, como diz a música "É preciso saber viver" senão a gente desiste. Infelizmente tudo é possível neste mundo acredito que deva ter histórias muito mais tristes que o seu sonho, mas ainda bem que foi só um sonho e você o retrata com muita arte apesar de e fazer shorar com a crueldade. Beijos e ate breve.

Fau Ferreira disse...

Carlinhos,

acho que eu não tenho o que comentar neh... rsrsr

Um abraço,