A dança da alegria

A dança da alegria - CA Ribeiro Neto

sexta-feira, 4 de março de 2011

Encantar-se

Uma crônica pequena, que eu decidi escrevê-la no ônibus entre o trabalho e minha casa. Pequena, não por falta de vontade de escrever, mas por ter esgotado tudo que eu tinha para dizer sobre o assunto. Um bom carnaval a todos.



Encantar-se



Vivo de encantar-me, a todo momento, e acredito que não sou o único por aí. Encantar-se por várias coisas e vários motivos impulsionam a vida, é lenha, é carvão. O encantamento pode ser por admiração, por respeito, pela vida e obra de alguém, pelo momento rápido de um simples desconhecido. Ele aparece sempre que sua sensibilidade é tocada de alguma forma.
Daí, já é de se presumir que é preciso estar apto a encantar-se. O objeto encantador não atinge a todos igualitariamente; pode ser indiferente para uns, avassalador para outros. E em outro momento as consequências podem ser inversas.
Há quem se encante tanto e tão facilmente, que criam superstições, que amam intensamente seres/objetos rapidamente. Não sei se vocês já passaram por isso, mas há aquele CD especial, da banda/artista especial, que a cada música que toca você a nomeia sua preferida. A última, então, levará vantagem!
Mas, sim, você pode encantar-se por várias pessoas. Tem as que você acaba de conhecer e já viram grandes amigos; tem as que você conhece há um tempão, mas só depois se encanta. Há aqueles que você só passa a se encantar, ou a encantar-se mais, quando conhece suas dores; e há aqueles que basta um olhar, uma roçar de pele, um sorriso cúmplice.
Encantar-se é decidir se vai dá uma esmola àquele pedinte ou não; se vai paquerar aquela gatinha ou não; se vai emocionar com a notícia de terceiro ou não.
Encantar-se não é amar, mas também não a exclui. Encantar-se é querer bem; é estar próximo e totalmente distante da inveja.
Aliás, a inveja não é seu oposto porque os dois tem a mesma fonte: o próximo. Mas a inveja é querer ser o outro, tomar o que é do outro. Encantar-se é de direita, é tradicional, é querer que tudo fique bonito como está.
Mas o encantamento é atemporal. Ele pode ser efêmero, fugir de nossas mãos – ou de nossas mentes –, assim como ele também pode ser eterno, durar anos, meses, dias. Essas delimitações humanas não servem para os sentimentos, e consequentemente, ao encantamento. Um encantamento de um dia pode ser eterno para mim, posto que também é chama.



CA Ribeiro Neto
------------------------------------------------------

ESCUTANDO NO MOMENTO: Peito Vazio - Cartola - cantado por Ney Matogrosso.
LENDO NO MOMENTO: A alma encantadora das ruas - João do Rio - pg. 237 / Não contem com o fim dos livros - Eco e Carriere - pg 59 / Dom Casmurro e os Discos Voadores - Machado de Assis e Lucio Manfredi - cap. 120.

Boa Sorte

10 comentários:

hermesveras disse...

Eu estou encantado, porque estava com saudades, sede de crônicas novas. E então, melhor ainda, uma no estilo Carlinhos, curtinha, mas boa para se pensar. Se encantar, sempre me remete aos poetas, à sensibilidade. Não consigo separar essas coisas! É muito bom ser sensível e perceber esse mundo, se encantar com ele, e claro, a gente acaba se destruindo mais facilmente também. Foi uma boa sacada essa analogia da inveja com o encantamento, eu realmente nunca tinha parado para pensar. Boa, amigo, continue escrevendo!

Thayanne Freitas disse...

Também fiquei encantada com o texto!!

Realmente existem várias formas de se encantar com alguém e se desencantar também. Acho essencial o "sorriso cúmplice" e concordo plenamento com o Hermes.

Encantada por ti Carlin!!:D

Bjus

Anônimo disse...

Encantar-se, já me encantei tanto com o(s) próximo(s) que sinto falta quando não o faço. É o que me move, em certos tempos de solidão. Acho que me encanto pelo ato de me encantar.

@rahribeirox disse...

ótimo texto. como sempre você conseguindo encantar as pessoas através das palavras ^^ infelizmente, o encatamento do homem é uma faca de dois gumes...mas enfim, porque não se encantar? ^^


estou esperando o seu livro !

Camila disse...

O que é viver senão encantar-se todos os dias?


Lindo texto.

(:

Paulo Henrique Passos disse...

"Encantar-se por várias coisas e vários motivos impulsionam a vida, é lenha, é carvão" COM CERTEZA!

Tratando de coisas profundas e sempre com bom humor. Vi muitas observações interessantes; muito boa a sobre o encantamento pelas músicas.

A moça da flor disse...

que cousa...
tivemos o mesmo assunto tratado de maneira diferente nos nossos últimos posts.
encantar-se é a coisa mais espontânea que conheço dos sentimentos bons. E umas das melhores... A partir dela amadurecem todos os os outros sentimentos.
Há mais ou menos dois anos encantei-me por um tal neguinho safado. E amadureceu num carinho grandioso! =)
(e num é que continua me encantando ^^)
Adorei a crônica! É sempre agradável o tempo que dedico a lê-las! Bom te ver nelas!
Beijo grande, Neguim!

Thiago César disse...

caralho, "encantar-se é de direita"?
q politicagem eh essa? hehehe...

Cassio Renovato disse...

Gostei muito, deste e do "Biografia Sambada" Carlito, parabéns mais uma vez pela sensibilidade!!

Helysa Ramos disse...

Amei moço seu blog,vou estar aqui outras vezes...beijos!!