A dança da alegria

A dança da alegria - CA Ribeiro Neto

quinta-feira, 19 de março de 2009

Soneto do Prisioneiro

Continuando as homenagens ao aniversário do meu blog, encabuladamente mostro-lhes a que considero a minha primeira poesia. Só para deixar claro, fiz umas duas poesias antes dessa, mas perdi-as e mesmo assim, lembro que eram muito ruins. Então essa fica como sendo a primeira!



Soneto do Prisioneiro

Eu podia falar...
Que seus olhos são como o sol ao entardecer,
Que se enchem de água como o mar,
Transmitindo uma beleza inesquecível,
Mas quando tais olhos começam a se fechar,
Começa uma nova fase que,para o sol, é apenas um sossego,
Mas para os olhos pode ser o começo de um longo beijo.

Eu podia falar...
Que seu olhar tem um encanto tão singular,
Que parece me prender com correntes,
Estes mesmos são feitos do mais fino tecido,
Mas que mesmo assim, ainda me prendes,
Por isso não consigo me desvencilhar,
Ou talvez eu não queira me soltar.



CA Ribeiro Neto
...........................................

* Lembrando que para ser soneto, basta apenas ter 14 versos, independente de estrofes.
* E há muito tempo aboliram a métrica dos sonetos!
* Dia de São José, não sou católico, mas queria mesmo que chovesse hoje.
* Hoje é aniversário do meu pai!
...........................................

www.aondeeuestavamesmo.blogspot.com - Fauzinha postou uma ótima crônica sobre escolhas de vida.
www.vivipsico.blogspot.com - Os textos da Vivinha são ótimos, vocês deveriam ler e comentar!
...........................................

ESCUTANDO NO MOMENTO: Negue - Erasmo Carlos
Boa Sorte

7 comentários:

Vivi Lima disse...

Ai que belezinha, principalmente o uso do encabuladamente na descrição antes do soneto. Você é uma figura meu nego!

Vivi Lima disse...

Ah, e não tira o bonequinho não... é tão lindo!!! Kkkkkkkkkkkkk... Parece o Carlinhos...

Hermes disse...

Achei fofinho tu falando que fica encabulado AHUAHA, bom poema má, se os meus primeiros fossem assim...Seu rebelde, anti-métrica! Abraços mara e parabéns pro teu pai.

Thiago César disse...

primeiramente, parabéns atrasado pro seu véi...
segundamente, como assim essa fica sendo a primeira?
sempre vai ser a terceira mah!
:P

Marcella disse...

A poesia está muito boa, Carlinhos.
Além de profunda.
Senti um sentimento.

Vilminha disse...

Oi Carlinhos, que bom que você tem a terceira e dá sim pra ser a sua primeira, afinal a primeira será sempre aquela que escolhemos. E eu que tinha 102 poesias e fui obrigada a jogar fora, agora nem sei mais qual seria a primeira por isso cada vez que escrevo vejo-a como sendo a primeira. E o sentimeto no poema é sempre o primeiro e único naquele momento. Gostei muito do poema. Parabéns pelo aniversário do Blog e para o seu pai também. Beijos e uma ótima semana.

Paulo Henrique disse...

Poema interessante. O olhar prende mesmo.