A dança da alegria

A dança da alegria - CA Ribeiro Neto

quinta-feira, 4 de março de 2010

Afavelmente Factual

A última poesia desta série 'Nossa Língua Portuguesa', 'Afavelmente factual' é uma poesia de 2007 - período em que eu saía da matemática e ia para a política e legislação - . Ela fala de uma relação homem & mulher, onde o homem - quase sempre errados, consegue o perdão da mulher - quase sempre benevolentes.



Afavelmente factual


Segurando a sua mão,
Seguramente
Faço uma reflexão.
Bem facilmente
Deixo-a sem reação,
Indecisamente
Pedes-me compaixão.

Toda essa situação,
Essencialmente
Carregada de emoção,
Casualmente
Falas em conciliação,
Factualmente
Fico sem argumentação.

Proponho uma solução,
Provavelmente
Incluso o meu perdão.
Imediatamente
Aceitas sem hesitação.
Afavelmente
Seguras a minha mão.

CA Ribeiro Neto
------------------------------------------

* Sexta, dia 5, este meu blog comemora 2 anos de existência!!!
* A internet voltou!!!!!!!!!!

* Ou seja, com o tempo lerei os textos dessa semana e os da semana passada!
* Tudo normal por aqui.
------------------------------------------

ESCUTANDO NO MOMENTO: O que é? O que é? - Gonzaguinha

LENDO NO MOMENTO: Almanaque Armorial - Ariano Suassuna - Pg. 237

Boa Sorte!

8 comentários:

Pedro Gurgel disse...

"onde o homem - quase sempre errado, consegue o perdão da mulher - quase sempre benevolentes"

PENSE NUMA VERDADE!!!!!!!!!!!!

a bichinha mah! na poesia, fiquei com pena dela...

NAM! A GENTE NUM PRESTA NÃO!

Marília Maia disse...

Bichinha???
Nãoooo...

Só sabemos disfarçar discretamente, só para vcs acharem que caímos na conversa de vcs...

Mas, eu concordo com o comentário do Pedro... VCS NÃO PRESTAM!
Com algumas exceções (sempre muito, muitooooo raras).

gostei do poema...
Beijão!
;)

Mehazael disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mehazael disse...

Devo entrar na discussão de presto/não presto? Tentador, mas vou passar. Apesar de não prestarmos. Mas bem, ficou legal a poesia, bem feita, coerente com ela mesma, seguindo um padrão bem legal e ritmado. Abração!

Jéssica de Sousa disse...

há...coitados, a gente é quem engana vocês...ou tu acha que a mulher não vai exigir uma coisa depois da reconciliação? nem que seja um chocolate...

Gi disse...

achei fofa a poesia...

mas eu tenho a sorte de ter alguém que presta.. então nem vou concordar com o pessoal aí que homem não presta... hueheueuhe

Thiago César disse...

mash, sobre o poema nao sei dizer mais nada além de "filet".
soh axo essa tua explicação antes muito excessiva, por exemplo, o fato de tu ter mudado de curso nao tem a ver com o poema... e tb nao concordo com negocio de homem quase sempre errado e mulher quase sempre benevolente! hehe...

Paulo Henrique Passos disse...

"filet" [2]

E parabéns aí pra ti pelo blog.

Valeu!