A dança da alegria

A dança da alegria - CA Ribeiro Neto

quinta-feira, 25 de março de 2010

Editorial do 3º NEM - Sonho

O 3º NEM tinha como tema os sonhos; e o editorial que fiz, este que posto agora, gerou muita polêmica, até recebi piadinhas irônicas por tais palavras as quais mantenho com orgulho de quem acredita na democratização das artes e da literatura.

Algumas pessoas acreditam que não são capazes de escrever um texto. Elas mal imaginam que, para obter tal êxito, basta ter duas potencialidades fáceis de conseguir:

* Saber se expressar em uma língua, não necessariamente estando exatamente correto;
* Sonhar, imaginar, criar ou qualquer outra palavra sinônima a essas.

A primeira é só pra transmitir para o campo das palavras o que o segundo requisito nos diz.

Porque o sonhar, esse sim tem o seu brilho, seu voo, é ele que possibilita histórias loucas, bonitas e/ou encantadoras, capazes de fazer rir, chorar; arrepiar a pele macia da menina; hipnotizar os olhos dos maldosos; acalentar a prece de quem pede; gritar, no silêncio das palavras, um pedido de liberdade.

Ah! A liberdade! Liberdade é a única regra dos sonhos, sonhos não tem limites, não tem privações, nem momento e nem lugar. Sonhar é viajar, passear por outros mundos, por outras vidas, por outras decisões, encantar os misteriosos corações, declarar o que estava oprimido, com a certeza de não ficar desiludido, e ainda por cima traz consigo, a possibilidade dessas situações.

Porque uma pessoa pode até não escrever, mas o texto certamente já está escrito na mente dela, através dos sonhos.

CA Ribeiro Neto
--------------------------------------------

* Para que entendam melhor o que eu quero dizer, assistam a um vídeo (clique aqui) e imaginem se o taxista da história tivesse o hábito de escrever!
* Tudo normal!
--------------------------------------------

ESCUTANDO NO MOMENTO: O Samba me Cantou - Luciana Mello

LENDO NO MOMENTO: Contos de Vista - Elisa Lucinda

Boa Sorte

8 comentários:

Marília Maia disse...

Eu sonho! Tento até escrever e descrever os meus sonhos... Mas, algumas vezes não dá... Muito bom... só consegui ouvir o áudio direito.

Marília Maia disse...

Ou melhor, não consegui ouvir o áudio direito... rsrsrsr

Mehazael disse...

Acho o que as pessoas confundem um pouco as coisas. Qualquer um (e todos) tem a possibilidade e o direito de escrever e sonhar. Mas não é qualquer um que pode ser um escritor. Ao menos na minha visão. Assim como qualquer um pode cozinhar e experimentar, não são todos que serão cozinheiros, e assim por diante. Mas acho que o Ratatouille nos ensina algumas lições muito legais nesse sentido (para quem viu o filme, claro).
Quanto a suas perguntar, achei melhor responder aqui:
Em relação ao Drummond, realmente, acho difícil algum argumento não o colocar ao menos ntre os 3 maiores poetas do Brasil, embora eu também o ache o maior. Apesar de que, em muitas vezes, a impressão que eu tenho é a de que ele está nos "enganando". Porque nem tudo o que ele escreve é poesia, e sim prosa em verso. Ele metrifica, divide por conteúdo, mas é de fato uma prosa. O que eu acho que, inclusive, reforça a tese do escritor-trabalhador, como um ourives que talha e entalha cada linha, cada palvra para que fique ali perfeita. E nem precisa rimar para tal, as "poesias" dele nos mostram isso.

Agora, em relação à canção Scarborough Fair (tu ouviu as versões ai ou só viu a letra?), acho que nenhuma temática impede a beleza. Claro, algumas tem maior capacidade de evocar sensações belas e puras, etc. Fazer uma canção bonita sobre violência pode ser difícil, mas quantas músicas não existem sobre batalhas, que sao transformadas de carnificinas em jornadas épicas de coragem e bravura? É tudo trabalho do (bom) autor/narrador/escritor.
Mas agora isso já ficou longo demais. hehehe
Aquele abraço!

Thiago César disse...

arrepiar a pele macia da menina, oba!
o video foi retirado do orkut!

Giovana disse...

Nem sempre é fácil, e muitas vezes num existe palavras para transmitir ao mundo destas o que sonhamos, imaginamos ou criamos... =p

Simplesmente, não é tão fácil escrever!

Marília Maia disse...

É a matemática simmmm... Ela pede incessantemente que eu volte para ela... Eu pensei que ninguém iria conseguir adivinhar... Também né? É um dos meus melhores amigos, sabe muita coisa de mim...rsrsrrsrs.

Beijão!
;)

Hermes disse...

Interessante o EDITAL, mas não vou cair na discussão, se é ou não todo mundo que pode escrever, sonhar, quase todo mundo, obviamente. Mas interessante, esse Edital, espero que ainda tenha algum NEM.

Musa disse...

Tem gente que escreve mesmo sem acreditar em sonhos...

bijos Fau