A dança da alegria

A dança da alegria - CA Ribeiro Neto

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Infinito ÚNIco VERSO

Uma poesia marromeno, que fala sobre a escrita em sí.

Infinito ÚNIco VERSO


Vejo poesias por aí
Na cama, no ônibus, em gente
Em música, em livros(?)
E me pergunto, aqui comigo
Como os meus serão vistos

Meus versos são loucos,
Crônicas rimadas
Falo de besteiras
Coisas sem-eira-nem-beira,
Minha vida rotineira

Mal uso ponto
Nem sei para que serve métrica
Mas escrevo com carinho
O que vejo, o que sinto;
Meus sentimentos resumidos

Não sou fã de regras
E sim, da liberdade.
Você pode ter a certeza
A originalidade é uma beleza
Para a renovação que se deseja

Mas não me peçam explicação
Pois se um ÚNIco VERSO
Significa um infinito
Inexplorado, indefinido
Imagine todo um eu-lírico.

CA Ribeiro Neto
--------------------------

* As aulas voltam amanhã! \o/
* Falta um mês pro aniversário do meu blog! \o/
* Amanhã, pré-carnaval no Benfica! \o/
* Discografia completa de Nara Leão \o/
--------------------------

www.aondeeuestavamesmo.blogspot.com
Uma crônica minha sobre auto-renovação. Próxima segunda, novo texto de Vivi Lima! \o/
--------------------------

ESCUTANDO NO MOMENTO: Apanhei-te Cavaquinho - CD Coisas do Mundo - Nara Leão
Boa Sorte

9 comentários:

Vilminha disse...

Uau! então é assim fazes versos tal quem nasce e já respira e não precisa ninguém ensinar, nem precisa explicar. Amei é assim que vejo e sinto poesias. Beijos e uma quinta maravilhosa. E esse Carnaval no Benfica deve ser daqueles de nunca mais querer que acabe.

Joãozito disse...

Imagina se tu soubesse o que é métrica!! hehehe... Poxa, adorei a poesia. Sempre sem regras e com suas eiras-nem-beiras. Mas ao mesmo tempo rimado e cheio de vida.
Vc sempre fala muito bem de você em cada poesia sua, cara. Massa.

Bom, sobre oq entendi num é?

Sempre descolado e solto, esse em particular me pareceu bem mais "a vontade", livre. Vc fez as regras e as declarou nele. Adorei.

Paulo Henrique disse...

Marromeno?! Não acho, mas talvez seja se for, por exemplo, para por numa antologia sua.

Mas isso sempre me interessa, esse negócio de metalinguagem

Um abraço

Hermes disse...

Ei, tá marromeno não, cara...Metalinguagem é um troço muito intereçante! E você sabe muito bem escrever sobre. Aliás, o meu post é um poema de cunho parecido. Amei a sacada do "ÚNIco VERSO". Muito boa. Ótima quinta pros manos aqui.
Abraço do urso.

Imcompreendida disse...

Gostei muito da poesia, só discordo de que vc não gosta das regras e da métrica... adorei a idéia de ver poesia em todo e qualquer lugar...

Minhas aulas já começaram... Estou adorando!!!

um abraço,

Thiago César disse...

deizano o trocadilho do titulo!
tb fiz um no meu, antes de ler essa tua... vamo ver se tu adivinha o trocadilho do meu...
:P

P.S.: teh fã de regra nao hein, bixao!

everson disse...

Volto do coma poético e encontro, de cara, um trabalho do meu amigo da cocada da quenga!

Boa carlinhos! Ela me surpreende como admirador da boa poesia em tempos que lê-la já não é tão comum, mas não me surpreende vindo de você, pois conheço pessoalmente o seu trabalho.
P.S.: isso foi um elogio!


cara to com muita saudade; me manda notícias depois, tá?

Filho Eterno disse...

passa lá!
http://filhoeterno.blogspot.com/

Pedro Gurgel disse...

Universo

Único
Verso



P.S.: adorei a poesia!!